22 de abr de 2010

Resenha: A obra-prima do Paradise Lost

O décimo CD que leva o mesmo nome da banda Paradise Lost pode ser considerado a obra-prima do grupo da cidade de Halifax (Reino Unido). Trata-se do trabalho em que eles conseguem encontrar o equilíbrio entre o death e o gotic metal, representando a maturidade da banda. Lancado em 2005, Paradise Lost traz uma producao fantástica que possívelmente acabou sendo deixada de lado pelo primeiros fas da banda, quando o death metal predominava. Ele viria logo após a fase experimental, na qual o som chegou a soar pop rock.
O CD abre com o som de piano de Don't Belong que logo se transforma diante das batidas bem marcadas de bateria, guitarra e baixo. As próximas músicas seguem neste mesmo caminho, ou seja, o peso do som vai aumentando a cada faixa. Uso de samplers, distorcoes vocais e outros recursos eletronicos podem ser percebidos nesta trajetória, sobretudo em Grey, que casa muito bem os recursos ao tradicional heavy dando aspecto sombrio as músicas. O mesmo pode ser percebido na imperdível Sun Fading. Poderia-se dizer que o disco é marcado pela evolucao musical, da mesma forma como da banda. Quem ouve os primeiros CD's do Paradise Lost, percebe bem isso.
Duas outras faixas também arrebatadoras indicam o ponto alto do CD. All you leave behind e Accept the pain sao excepcionais. A última é uma daquelas músicas que trazem um equilíbrio magistral entre instrumentos, vozes, tempo e variacoes muito bem conduzidas pela voz de Nick Holmes.
Já as faixas seguintes reduzem a euforia do ouvinte, sem perder a qualidade, mas como se fechasse o ciclo. Desta vez sem desvios, o Paradise Lost teria finalmente encontrado seu caminho, fórmula que seria repetida nos trabalhos seguintes.
Este mesmo CD teve versoes diferentes na Alemanha e na Inglaterra com temas extras e mixagens de algumas faixas.

Paradise Lost: Paradise Lost
Don belong
Close your eyes
Grey
Redshift
Forever After
Sun fading
Laws of cause
All you leave behind
Accept the pain
Shine
Spirit
Over the madness

Integrantes:
Nick Holmes (voz)
Greg Makintosh (guitarra)
Aaron Aedy (guitarra)
Steve Edmondoson (baixo)
Jeff Singer (bateria)

Obs. A falta de acentuacao nao é erro de digitacao. No momento estou no México e aqui o teclado nao tem alguns acentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário