26 de jul de 2010

Bons tempos: o legado deixado pela banda primal...



O primal... foi uma das primeiras bandas a tocar heavy metal em Curitiba. Com um som difícil de classificar, devido à variedade de influências, é perceptível forte a marca do Stoner. Figuravam entre os inspiradores da banda nomes como Black Sabbath, Kyuss, St. Vitus, Monster Magnet, Pentagram, Clutch e várias outras. Formada inicialmente em 1991 por Fabiano Cavassin (guit), Marcelo Carli (baixo), JC Hansen (bateria) e Johnes (vocal), eles chegaram a entrar em estúdio naquele mesmo ano para gravar uma one track demo. Em outubro o grupo fez sua estreia em palcos no pequeno clube 92 Degrees. Já no começo, antes de finalizar a demo, Johnes acabou dando lugar a Guto Diaz, que compôs o tema título da demo-tape (isso mesmo fita k7) “Sorrow Of The Masses”, lançada em maio de 1992.

Com essa formação, o primal... desenvolveria as demos "Nailed" (1995), "Homo Urbanus" (1997) e o ao vivo "Warning" (1997). O conteúdo dessas três demos viria a compor o primeiro CD da banda o "primalogy", lançado em 1999, com Benedito Moreira "Neto" na bateria, no lugar de JC Hansen. Nesse período, a banda fez uma série de apresentações em festivais de diferentes cidades brasileiras e lançou o primeiro video-clipe "Timeless Wintertime" e que chegou a ser exibido pela MTV. Com a visibilidade, o primal... começou a se apresentar ao lado de nomes de peso como Paul Di'Anno (1997) e Misfits (1998).

"No começo tinhamos uma pegada mais Danzig, The Cult, SoundGarden, Sabbath, etc... Quando tivemos a primeira mudança de bateristas, eu e o Fabiano estavamos ligados musicalmente a outras cenas e bandas como, Killing Joke, VoiVod, Einsturzende Neubauten, Bauhaus, etc.., e naturalmente o som da primal... foi influenciado por essas bandas e sons que estavamos curtindo. Eu cortei os cabelos e começei a usar maquiagem bizarra, esmeril e ferro velho nos shows.Começamos a nos preocupar mais com o aspecto visual das apresentações. Nessa época é que foram criadas as músicas que viriam a ser o coré-etuba (CD lançado em 2003)", explica Guto Diaz - mas que, na verdade, teria sido gravado em 1999 e não foi lançado antes devido às desavenças entre os músicos.

As mudanças na formação em 2000 e 2002 podem ter sido um atenuante para que a banda, no momento em que atingia o alge, reduzisse a produtividade e só lançasse mais dois CD's e um EP. Esse, aliás é um dos problemas, segundo Guto, que teriam contribuido significativamente para o fim da banda.
Os motivos são explicados pelo vocalista: "Bem, na verdade, a banda não acabou, foi dissolvendo, cada um tinha suas prioridades e a banda acabou ficando de lado. Mas na última encarnação já não tinha aquele clima bacana de períodos anteriores. Esse foi um grande problema em nossa carreira, gravamos pouco, principalmente depois dos anos 2000, quando ficou ainda mais fácil gravar".

No caminho inverso à redução do trabalho no estúdio, o primal... intensificou as apresentações ao vivo. Entre 2001 e 2003 eles chegam a participar do programa Ciclojam da TV Educativa, transmitido ao vivo no Teatro Paiol, apresentaram-se no festival Geração Pedreira, na Pedreira Paulo Leminski, além de várias apresentações em casas noturnas. O mesmo ritmo já não seria sentido nos anos seguintes. Em 2005 eles lançam um disco ao vivo com músicas inéditas e finalizariam os registros de estúdio com "Hasta la victoria siempre", em 2007. No dia 2 abril de 2008, na Vox, a banda faria sua última apresentação.
De 2002 a 2005 Roberto Krug assumiu as baquetas no lugar de Orlando Custódio, que voltaria ao posto em seguida, para formar o último line-up.

Da última formação apenas Guto mantém um trabalho musical como vocalista da banda A Fonte (versões lado B de Sabbath, Purple, Zeppelin, Judas, Uriah Heep, etc só anos 70) e do Lovely Creatures (tributo ao Nick cave & The Bad Seeds). Há ainda 15 músicas do Primal que não foram gravadas e que podem vir a serem ouvidas em outro projeto, confessa Guto. "Tivemos apresentações memoráveis, fizemos amigos, bebemos, nos divertimos muito. Pena que não conseguimos chegar aonde nossas pretenções nos levavam, devido a diversos fatores internos e externos, da realidade que é fazer metal no Brasil, principalmente em Curitiba", finaliza ele.

Discografia:

Demos
- Sorrow Of The Masses (1992)
- Nailed (1995)
- Homo Urbanus (1997)
- Warning - ao vivo (1997)

EP
- Hasta la victoria siempre (2007)

CD's
- primalogy (1999)
- coré-etuba (2003)
- Ao vivo na Grande Garagem que Grava (2005)

Vídeo clipes
- Timeless Wintertime (1995) clique aqui para assistir
- The Opposites (2003) clique aqui para assistir 
- Rise & Fall (2007) clique aqui para assistir 

Formações:

1991 - 1992
Fabiano Cavassin - Guitarra
Marcelo Carli - Baixo
J.C. Hansen - Bateria
Johnny - Vocal

1992 - 1996
Fabiano Cavassin - Guitarra
Marcelo Carli - Baixo
J.C. Hansen - Bateria
Guto Diaz - Vocal

1996 - 2000
Fabiano Cavassin - Guitarra
Marcelo Carli - Baixo
Guto Diaz - Vocal
Benedito Moreira "Neto" - Bateria

2000 - 2001
Fabiano Cavassin - Guitarra
Carlos Schner - Baixo
Guto Diaz - Vocal
Orlando Custódio - Bateria

2001 - 2002
Fabiano Cavassin - Guitarra
Carlos Schner - Baixo
Guto Diaz - Vocal
André Wlodarczyk - Bateria

2002 - 2005
Fabiano Cavassin - Guitarra
Carlos Schner - Baixo
Guto Diaz - Vocal
Roberto Krug - Bateria

2005 - 2008
Fabiano Cavassin - Guitarra
Carlos Schner - Baixo
Guto Diaz - Vocal
Orlando Custódio - Bateria

3 comentários:

Andre disse...

Po...registra ae que eu toquei tb no Primal, po quase um ano, entre o anos de 2001 e 2002, entre a formação com o Orlandinho e o grande Krug!

O Primal é sem dúvida uma das maiores bandas curitibanas de todos os tempos!

Abrasss

Andre Wlodarczyk

Vitor disse...

Boa materia, gostei!!

Guilherme Carvalho disse...

outras bandas já estão na lista para participar da sessão BONS TEMPOS. aguarde...

Postar um comentário