29 de nov de 2011

DeathMetalCore: evento surpreendeu pela qualidade e grande público

Fotos e Texto original: CWBUnderground

O evento aconteceu no Espaço Gólgota

Debaixo de muitos raios e trovões, nesse último sábado, dia 26 de novembro, no Espaço Gólgota, aconteceu a primeira edição do Deathmetalcore Fest, contando com a participação de cinco bandas locais e uma de Foz do Iguaçu. O evento foi idealizado pela banda Survive, que veio recentemente do Acre, e contou com o patrocínio da Rodie Crew, Drum Shop, Silent Music Studios, Inkings Tattoo, Meteoro e pela Curitiba Underground.

O evento foi muito bem organizado, planejado e estruturado. As bandas contaram com equipamentos de ponta, o que deu mais qualidade ao festival. Os intervalos de uma banda para a outra foram de no máximo quinze minutos, sendo que, cada banda tocou por cerca de quarenta minutos. Com isso, o festival não perdeu o ritmo e conseguiu segurar o grande público até o final.

O power trio Solid deu inicio ao evento, destilando muita técnica e entrosamento. Formada em 2006 por Eduardo Ferrera (Guitarra/Vocal), Anthonny Brasil (Baixo) e Felipe Ferrera (Bateria), recentemente lançaram a música "Fechado em mim", gravada e produzida no final de fevereiro de 2010, em Criciúma, Santa Catarina.

Os curitibanos do Traditional Disorder foram a segunda banda a se apresentar. Inspirados no hardcore norte-americano, a banda subiu ao palco com a proposta de fazer um som voltado para o público tanto do punk rock/hardcore quanto do metal. Destaque para os guitarristas que apresentaram muita técnica e precisão nos riffs e solos. A banda iniciou suas atividades em 2010, e é formada por Artur (Vocal), Dudu (Guitarra), Tuta (Guitarra), Tiago (Bateria) e Danilo Paulista (Baixo).


Vindo direto de Rio Branco, capital do Acre, e atualmente estabelecida em Curitiba, o Survive se apresentou no ápice do evento e apresentou um dos sons mais pesados da noite, trazendo para si toda a responsabilidade do festival. Com um som voltado para o metalcore, a banda demonstrou muito carisma e grande desempenho dos músicos. O baixista deu um show à parte, não ficando parado nenhum minuto em cima do palco. A banda é constituída por Max Dean Araújo (Vocal), Renan Silva (Guitarra), Josélio Almeida (Guitarra), Heryc Luis Dantas (Baixo) e Jarlisson Jaty (Bateria).

Uma das bandas mais aguardadas da noite foi o Last Sigh, que mais uma vez mostrou por que é considerada uma das bandas mais importantes do metal/hardcore paranaense. Last Sigh tem um público fiel na cidade e fez a galera delirar durante o tempo que ficou no palco. A banda tem como diferencial o vocal massacrante e o desapego técnico dos músicos. Com diversas mudanças na sua formação, atualmente a banda toca com Deko (Vocal), Renato Rossi (guitarra), Andre Luis (guitarra), Marcus Zerma (baixo) e Douglas Rossi (bateria).

Diretamente de Foz do Iguaçu, o Anchor foi a única banda a se apresentar que não tem endereço fixo na capital paranaense. Mesmo "desconhecida" dos curitibanos, os cinco integrantes não deixaram de impor o seu ritmo, um tanto quanto melódico, que agradou os presentes no festival. Formada em 2009, o grupo tem George da Luz (Vocal), Rodrigo Maia (Guitarra), Guilherme Barreto (Guitarra), Bruno Barreto (Baixo) e Felipe Zampieri (Bateria).

O Krucipha foi a última banda a se apresentar no DeathMetalCore e mostrou por que vem sendo uma das grandes revelações do cenário underground curitibano. Com um som muitas vezes comparado ao Sepultura e Soufly, o ‘metal pinhão’ dos caras conta com dois percussionistas, dando uma característica única ao grupo. A banda tem Fabiano Guolo (Vocal/Guitarra), Luiz Gabriel (Guitarra/Vocal), João Cavali (Baixo), Felipe Nester (Bateria), Caio Ribeiro (Percussão) Jgör Nosnyój (Percussão/Vocal).

Nenhum comentário:

Postar um comentário