12 de ago de 2010

Matanza: uma banda de bom humor

Por Felipe Leite

A banda carioca Matanza foi formada em 1995 pelos amigos Donida (guitarra) e Jimmy (vocal), ambos da Zona sul do Rio de Janeiro. Fãs de Johhny Cash e Motorhead Jimmy, China, Jonas, Maurício (ex-Torture Squad) e Donida (que abandonou a banda em 2008 e hoje apenas participa do processo de composição das músicas) unem em seu som fortes influências de country e folk com o peso do hard core em meio a letras muito bem humoradas que falam sobre tudo aquilo que um bom rocker gosta: Mulher, Álcool, Rock’n Roll, Velocidade, Violência, etc.. A mídia chama de Country Core, os integrantes de Hard Country. Com contrato com a gravadora Deckdisc, lançaram 4 álbuns de estúdio e um ao vivo pela MTV.

Em 2001 a banda lança seu debut, “Santa Madre Cassino”. Com pouco mais de 5 anos de estrada, uma demo lançada e uma sonoridade bem definida, o disco já mostra uma banda extremamente profissional destinada a crescer cada vez mais. Nas letras, histórias narradas com muito bom humor seguindo uma linha “Western”.

O disco já abre com aquela que viria a se tornar um dos maiores "hinos" da banda: “Ela roubou meu Caminhão”, música de presença obrigatória em qualquer show. “Mesa de Salloon” possui uma pegada mais pesada e reta mas com as mesmas influências de country nítidas. Outro grande destaque do disco fica por conta da “Rio de Whisky”, que possui o álcool dessa vez como protagonista da história. “Santa Madre Cassino” fecha com as excelentes “As Melhores Putas do Alabama” e a faixa título, outras duas músicas obrigatórias em qualquer show da banda.

Dois anos depois a banda viria a lançar aquele que se tornou seu disco mais popular e favorito de muitos (inclusive eu): "Música Para Beber e Brigar" (2003). De cara o disco abre com uma música direta e pesada que mostra um lado mais heavy metal da banda: a famosa “Pé na Porta e Soco na cara”, que teve seu clipe exibido com frequência na MTV no final daquele ano. A excelente "O último bar", que vem na sequência do disco, já mostra um pouco mais da sonoridade country da banda assim como "Bota com Buraco de Bala" e "Taberneira Traga o Gim". "Interceptor V6" é uma bela pancadaria. Rápida e agressiva com uma pegada bem mais hard core, perfeita para abrir rodas de pogo. Outro sucesso do disco, "Bom é quando Faz Mal" também possui uma levada mais direta puxando para o Heavy Metal. O disco encerra com a animada e engraçadíssima "Bebe, Arrota e Peida".

Novamente após dois anos a banda volta a lançar outro disco de estúdio, dessa vez um álbum com covers de Johhny Cash (focando na fase inicial do cantor norte americano), mas com a roupagem mais pesada da banda. O álbum intitulado “To Hell With Johnny Cash” tem como destaques especiais os eternos sucessos “Cry, Cry, Cry”, “Leave That Junk Alone” e “Straght A´s In Love”.

Em 2006 a banda lançou “A Arte do Insulto”. O disco já abre com a violentíssima faixa título e sua letra extremamente agressiva. Ótima pancadaria! O álbum segue com as também pesadas e excelentes “Clube dos Canalhas” e “O Chamado do Bar” (essa segunda com uma levada bem Motorhead). A bolacha também tem como destaques “Meio Psicopata” e “Whisky Para um Condenado”.

O Matanza gravou em 2008 o “MTV apresenta”, álbum ao vivo em que a banda mostra toda sua força destruindo tímpanos em 24 excelentes músicas da banda. Esse sábado, dia 13, o Matanza se apresentará novamente em Curitiba no Hangar Bar com certeza de um ótimo show e de casa lotada, feito já outras vezes alcançado pelos cariocas em nossa cidade. 

Serviço:
Dia: 13/08
Horário: abertura da casa 22 horas
Banda de abertura: BraveHeart
Valor dos ingressos: R$ 20 antecipado

Um comentário:

Anônimo disse...

muito bom, adoro muito vcs
parabéns lindoes

Postar um comentário