14 de ago de 2010

Review: sexta-feira 13 com a bebedeira do Matanza

Por Vito Cuneo

Sexta feira 13, mais show do Matanza, será que iria dar tudo certo? Pois é, o Hangar Bar ficou pequeno para essa noite. A banda carioca fez um grande show para mais de 700 pessoas, acompanhados do Epilepsya e BraveHeart. Confira como foi:

Matanza ---------------------------------------------

Às 23h40, bem atrasado, começam os trabalhos da banda principal. Sim, Matanza fez a abertura do show, ou melhor, fez o encerramento, pois a maioria do público que esteve no Hangar foi para conferir a “putaria” da banda carioca (como o próprio vocal Jimmy declara). Show agitado, tocaram tudo do bom e do melhor, músicas novas prometidas para o próximo CD e músicas velhas, que boa parte do público não conhecia. 

Como era noite de sexta-feira 13, claro que surgiram problemas. Já de cara, o retorno de palco não funcionava, o que deixou o vocal Jimmy mais bem humorado. O cara já é uma figura, imaginem contrariado. A guitarra deu pane, sorte que a banda tem equipamento reserva, pois trocaram o instrumento no meio da terceira música, “Meio Psicopata”. Por fim, a pele do bumbo furou, na música “Santa Madre Cassino”, o que resultou em pelo menos 15 minutos de pausa, que novamente o Jimmy aproveitou para fazer piadas e provocar as belas garotas da noite à fazer um “stripe”. Como não rolou, mandaram de improviso a “Busted”.

Eu já tinha conferido o show anterior, que rolou no antigo Porão. Dessa vez o Jimmy, não reclamou do calor, como da última vez, quando disse que Curitiba é o lugar mais quente do Brasil. Fizeram 2 horas de show, fechando com a sequência “Bom é quando faz mal” / “Arte do Insulto” / “Estamos todos bêbados”, com o público cantando em peso. Segue o setlist: 

1. Mayhem
2. Ressaca Sem Fim
3. Meio Psicopata
4. Mesa de Saloon
5. Maldito Hippie Sujo
6. Pandemonium
7. Interceptor V-6
8. Tempo Ruim
9. Todo ódio da Vingança de Jack Buffalo Head
10. Eu Não Gosto de Ninguém
11. Clube dos Canalhas
12. Imbecil
13. O Chamado do Bar
14. Matarei
15. Quem perde sai
16. Taberneira, Traga O Gim
17. Remédios demais (música nova)
18. Big River (J. Cash)
19. Odiosa Natureza (música nova)
20. Pé na Porta, Soco na Cara
21. Quando Bebe Desse Jeito
22. Bebe, Arrota e Peida
23. Santa Madre Cassino / Busted
24. Sabendo Que Posso Morrer
25. As Melhores Putas do Alabama
26. Ela Roubou Meu Caminhão
27. Eu Não Bebo Mais
28. Bom é quando faz mal
29. Arte do Insulto 
30. Estamos Todos Bêbados

Epilepsya ----------------------------------------

Exatamente 2h30 o “rock paulera” do Epilepsya agitou a galera. É claro que a maioria do público já tinha vazado, uma pena, pois perderam um thrash metal de primeira dos caras. A banda fez um show relativamente curto, com a maioria em covers, o que é uma pena também, pois as músicas próprias são maneras, como a “Countdown” e “Warriors”, e dessa vez fizeram um cover novo, (que eu pelo menos não havia escutado na versão da banda) “Bloodline” do Slayer. Segue o setlist:

1. Children of the Grave (Black Sabbath)
2. Countdown
3. Warrios
4. Aces of Spades (Motorhead)
5. Sympton of the Universe (Black Sabbath)
6. Mandatory Suicide (Salyer)
7. Troops of Doom (Sepultura)
8. Refuse-Resist (Sepultura)
9. People of the Lie (Kreator)
10. Bloodline (Slayer)

Braveheart ----------------------------------------

Às 3h30 e para um público menor ainda, a banda Braveheart fecha a noite com méritos. Já tinha conferido essa banda há muito tempo atrás. O powertrio manda bem. Estão de parabéns pelo som e pela atitude de tocar nas condições da noite, mandaram o som, tentaram agitar a galera na música “Real”, enfim, poderiam ser mais privilegiados. Mandaram também um set curto, mas intercalando covers e próprias. Fizeram covers do Metallica (fase nova), pois o vocal Michael Bahr, tem um tom de voz e aparência semelhante ao James Hetfield, e Motorhead “Aces of Spades” que foi a saidera. Segue o setlist:

1. Whiskey in the Jar (versão Metallica)
2. Lier
3. Decision is mind
4. Disappear (Metallica)
5. Old house
6. Right our wrong
7. Real
8. Aces of Spades (Motorhead)

3 comentários:

Guilherme Carvalho disse...

ae vitão. parabéns pela resenha, muito bem escrita, e pelo aniversário, velho.

Prof.Michael disse...

Valeu pelo apoio a cena moçada !!

Vitor disse...

valeu, valeu. na verdade eu que agradeço, pois essa noite foi massa!

Postar um comentário