24 de out de 2010

Review: Death Angel em Curitiba

Por Anna Bárbara Tuttoilmondo

Cheguei no John Bull Music Hall quase 22h, no meio da apresentação dos catarinenses do Rhestus. Confesso que conhecia a banda de nome, mas não tinha ouvido o som. E me surpreendi. Mesmo com poucas pessoas (o que me fez acreditar que o show da banda principal seria um fracasso de público. E eu sempre me engano), a banda não perdeu a compostura e mandou um ótimo som. A casa também não deixou a desejar: todas as bandas ficaram com o som impecável, na minha opinião. Não contei exatamente o tempo, mas digamos que tenha sido uns bons 40 minutos de thrasheira, para esquentar a noite.

A próxima atração ficou por conta dos nossos conterrâneos do Sacredeath. O público já tinha aumentado consideravelmente, e a banda também fez uma ótima apresentação. Dava para notar que todos os integrantes de ambas as bandas estavam super ansiosos com a chegada da banda principal. Após mais uma meia hora de show, os curitibanos saem de cena e a agitação começa. Demorou no máximo entre 10 e 15 minutos para o palco ser arrumado para a atração principal.

Finalmente as luzes se apagam, e era chegada a hora de mais uma lenda da Bay Área se apresentar em nossa cinzenta cidade.

Death Angel pisa no palco, já ovacionado pelo público, e de cara, abrem o show com “I Chose The Sky”, do recém-lançado álbum Relentless Retribution. Em seguida, mandam um clássico com “Evil Priest”, do álbum de estréia The Ultra-Violence, lançado em 1987. O grupo manda mais um som recente – “Buried Alive”, do Killing Season (2008), e “Voracious Souls” – música cantada em coro, diga-se de passagem – também do álbum de estréia.

Mal começou o show e já tinha roda de pogo, dezenas de pessoas subindo no palco e dando mosh. Mas, quem pensava que a banda iria se irritar com a “invasão”, ficou redondamente enganado: os caras pareciam super à vontade e, inclusive, brincavam com os invasores, jogavam eles do palco, incentivavam a loucura e tudo mais. 

Aliás, foram todos super carismáticos com os fãs, agradecendo pela presença, dizendo que em 20 anos de carreira, essa era a primeira vez que pisavam no Brasil, e estavam super contentes com a recepção.

Após os agradecimentos, a banda volta com uma mistura de clássicos do início de carreira e trabalhos mais recentes, como “Thrown to the Wolves”, “Lord Of Hate” e “Truce”.

Devo falar do trabalho em grupo: o trio de cordas formado pelos guitarristas Rob Cavestany, Ted Aguilar e o baixista Damien Sisson, junto com a bateria matadora de Will Carroll (que substitui Andy Galeon desde o ano passado), a incrível presença de palco do vocalista Mark Osegueda, todos muito eufóricos e esbanjando técnica, com certeza são a prova de que o Death Angel continua mais vivo e forte do que nunca.

A banda encerrou o show com “Thrasers”, o que levou todos à iminente loucura (mais do que já estavam), “Bored” e mais um clássico: Kill As One.

O grupo se despede, jogando alguns “souvenirs” para a platéia: palhetas, baquetas, garrafinhas de água. Após um alguns minutos, os californianos retornam ao palco, para o bis e mais alguns souvenirs. Logo após o término do show, mais alguns agradecimentos e uma novidade: a festa não acabou. Todos os presentes estavam convidados para o after-party com os integrantes no Blood Rock Bar.

Dito e feito: é claro que eu fui lá. O primeiro a chegar foi o baterista Will Carroll, que foi conferir um pouco do show que estava rolando (era noite de Hard Rock no Blood). Quando eu estava quase indo embora e já estava lá na frente do bar, vejo um carro se aproximando e trazendo o resto da banda. Voltei e fui cumprimentá-los pelo ótimo show. Estavam todos reunidos no balcão, bebendo, tirando fotos com os fãs, super receptivos e contentes com a noite. E claro que todos tinham mais é que festejar pois, 22 de outubro de 2010 ficará guardado na memória dos fãs de metal, com o registro de mais uma grande noite de pura thrasheira com uma das lendas da Bay Area.

Set List:
I Chose The Sky
Evil Priest
Buried Alive
Voracious Souls
Relentless Retribution
Claws In So Deep
Seemingly Endless Time
3rd Floor
This Hate
Thrown To The Wolves
Lord Of Hate
Falling Asleep
Truce
Thrashers
Bored
Kill As One

Bis: incompleto

19 comentários:

Vitor disse...

Manero!! Curti!!

Anônimo disse...

Fiquei sabendo que foram vendidos 90 ingressos. Foram distribuídos mais de 200 convites, que beleza, não? Sucesso de público.

Neural Machine disse...

Foram vendidos pouco mais de 300 ingressos entre antecipados / na hora / excursões (só o pessoal do Rhestus trouxe 40 pessoas). O público total foi cerca de 400 pessoas. A casa é pra 1000 pessoas e estava cheio.

Neural Machine disse...

Esperávamos pelo menos 500 pagantes. Mas 300 pagantes está de bom tamanho, tivemos em Curitiba mais público que em cidades como Buenos Aires e Lima. E segundo a banda e equipe fomos a cidade a realizar a melhor produção em todos os sentidos: horários, casa, equipamento, hotel, camarim, logística e recepção.

Anônimo disse...

Ta bom Pedro, ta bom.. Aqui é a oitava maravilha do mundo, com a neural é tudo lindo e perfeito.

Neural Machine disse...

Só não é perfeito para quem tem inveja e incapacidade de fazer algo e até de colocar o nome no post. Quer criticar? Tenha coragem de colocar o nome. Ah esqueci isso não é critica né, é tentativa de desmerecer um dos melhores shows de metal que Curitiba já teve em todos os sentidos. Quando erramos, admitimos, nem todo show é organizado perfeitamente. Mas sobre o Death Angel, qual sua crítica? Um boato infundado de que vendeu 90 ingressos, sendo que vendeu 300 e quem estava lá sabe que havia muito mais do que isso. Rs... Aqui não é a oitava maravilha do mundo, concordo. Mas qual o fundamento do seu comentário se não a inveja? Se for o bem dos shows de metal na cidade, acho que deveria ser de apoio e não inventando um boato sem fundamento. No mais se os shows em Curitiba são ruins ou não, não é exclusivamente nossa responsabilidade, é o primeiro show internacional que fazemos esse ano. E modéstia a parte foi tudo lindo e perfeito sim.

Tersis Zonato disse...

Críticas sempre aparecem, mas alguns comentários me faz questionar: cadê a tal "união" no underground?

Eu fiz poucos eventos e sei do trabalho que dá... Não fui no show, mas dou parabéns a iniciativa da organização. Espero que tragam outras bandas internacionais e que o público vá em PESO.

Tersis Zonato disse...

P.S.: aos moderadores: há meio de bloquear usuários anônimos? Talvez exista alguma ferramenta do Blogger para isso. Assim evitaria comentários de pessoas que não se identificam. Se vocês acharem relevante, fica a sugestão.

Anna disse...

O show foi muito organizado MESMO. A banda não se atrasou, os equipamentos estavam em perfeitas condições, toda a estrutura estava super boa. E a casa não estava vazia - muito pelo contrário.
Então, sim: parabéns pra neural.
E claro, pro Death Angel pelo ótimo show.

Guto disse...

Eu fui no show e foi animal! com certeza o maior show de Thrash Metal que Curitiba já teve! parabéns pra NeuraL! Sei como é dificil fazer show em Curitiba! o John Bull estava bom de publico mas eu esperava mais da cidade! Cadê os verdadeiros old school Headbanguers?

Clovis disse...

Também ouvi esses boatos de venda de ingressos, e gente tentando desmerecer a produção da Neural Machine. Foi tudo muito bem organizado, tanto que eu cheguei 9h40 e o Rhestus tava no fim do setlist. E tava marcado para começar as 9h, logo, começou pontualmente... Ótimo som, publico e quantidade razoável, foi bom demais. Ass: Clovis

Guilherme Carvalho disse...

tersis, há sim como deletar certos comentários, mas é política nossa manter o espaço democraticamente aberto para qualquer comentário. apesar de que acho de bom tom que todos sempre se identifiquem.

Tersis disse...

Na real, não é questão de deletar comentário, mas obrigar que façam login com alguma conta... acho que iria reduzir os anônimos pelo menos. Pena que ainda tem gente que só sabe causar burburinho sem se identificar.

Vitor disse...

Concordo com o Tersis, não deveria haver comentarios anonimos, para evitar justamente as polemicas. Mas se essa é a politica do blog, então vamos respeitar a democracia, (apesar que eu não acredito que exista o "poder do povo"). E é por isso que eu prego a União do underground.

Anna disse...

Polêmicas sempre vão existir. Não adianta bloquear o site todo, isso só vai dar mais força para o que tanto detestamos: intolerância.
Contando que ninguém falte com respeito, tá susse.
No mais, continuo parabeznizando o pessoal da Neural Machine pelo ótimo show e ponto. xD

Anna disse...

parabenizando*

Anônimo disse...

Merda por merda, então bloqueiem o Pedro. Ele fala coisas do tipo "SacreDeath é uma das melhores bandas do Brasil".

Ademais, parabens pela organização do show; estava impecavel.

Anônimo disse...

heheheheh, td mundo sabe q foram vendidos 90 ingressos e q uma galera foi convidada. td mundo sabe. mas blz Pedro, o prejuizo foi seu mesmo.

Fabio Fistarol disse...

Fotos do show em Curitiba.

http://fabiofistarol.com/2010/10/death-angel/

Enjoy.

\../

Postar um comentário