14 de set de 2011

Krucipha: Resenha do CD “Preemptive Uproars”!

Fabiano Guolo (vocais e guitarra), Felipe Nester (bateria),  Luiz Gabriel (vocais e guitarra), João Ricardo (baixo), Jgör Nosnyój (percussão e vocais) e Caio Ribeiro (baixo) são os integrantes do grupo, e não é a toa que elas ficam muito bem elaboradas.

A capa do álbum é o petit-pavé das calçadas curitibanas, com as imagens dos pinhões e rachaduras no concreto. Já sobre o estilo, consigo rotular a banda - seria um heavy metal tipicamente brasileiro? As influências e diversidade de ritmos e instrumentos das faixas me deixam com esta grande dúvida.

“Afforddiction” é a primeira faixa. A vibração, intensidade e altura da música é muito elevada. O vocal rasgado completa a mescla de variação instrumental, e faz com que a indignação e repulsa moral dos integrantes seja muito bem percebida, eles conseguem passar a mensagem com qualidade.

“Tribal War” mostra o conjunto bem articulado da bateria com os demais instrumentos de percussão, com arranjos minimalistas e muito bem explorados. Aqui, podemos acrescentar ainda uma boa quantidade de thrash metal, devido à maior velocidade e peso. Incorporam ainda uma junção tribalista  e muito bem intencionada modulação.

 “Reason Lost” é agressiva e segue com o principio imposto desde o início do trabalho. Nada de inflexão, muito harmoniosa e competente. A disposição ordenada dos instrumentos não deixou a cadência estagnada, mas sim entusiasmante, e também não consigo destacar algo ou alguém nesta música. A qualidade é primor.

Quero mais, garotos! Só três músicas só aguçou minha curiosidade.

Tracklist:
1-    Afforddiction
2-    Tribal War
3-    Reason Lost

Fonte: X-Press On

3 comentários:

Anônimo disse...

A capa é legal.

Anônimo disse...

Soulfly fail + ridiculous Slipknot percussion.

Welder disse...

Sou de Joinville e asssiti um show no blood bar. achei q era um slipnok cover msm kkkkkkk
mas depois vi q era bem cópia msm de soufly, o vocal copia ate as coisas q o max faz como colocar as mãos no rosto. no cd eh uma coisa, ao vivo...aí sim a gente vê como no estudio td fica bom depois de arrumar no sonar..kkkkk

Postar um comentário