14 de abr de 2010

Hangar 18 conta sua versão sobre cancelamento do W.A.S.P.

Os cerca de 800 fãs que compraram ingresso se perguntam o que houve para que o show do W.A.S.P em Curitiba fosse cancelado. Em resposta ao Arquivo Metal CWB, o produtor Fabio Oliver da Hangar 18, empresa com quem foi assinado contrato, explica os acontecimentos. Segundo ele, todo o possível foi feito para que a banda subisse ao palco. O som havia sido passado e a banda não havia citado nenhum problema.
A partir de então a banda começou a achar problemas na bateria e na mesa de som. Oliver explica que para evitar maiores problemas uma nova bateria Pearl (Vision) foi comprada, juntamente com um jogo de pratos Zildjan, no valor de R$ 15 mil.
“Foi então que alegaram que o tempo já tinha passado e a banda não tinha como tocar porque precisavam de mínimo de quatro horas para passarem som e se prepararem. Nem foram até o local ver que realmente estaria tudo ok", conta Oliver.
Nem os fãs brasileiros e as caravanas vindas do Paraguai e Argentina teriam sido suficientes para fazer o W.A.S.P. mudar de ideia.
Apesar do rombo financeiro, Oliver garante que o dinheiro dos ingressos será devolvido a partir do próximo dia 19. Advogados da produtora também já estão cuidando do caso.
Já a Negri Concerts, empresa que trouxa o W.A.S.P. ao Brasil, lançou uma nota oficial na qual aponta que as especificações solicitadas não foram atendidas pela Hangar 18.
Curitiba não foi a única cidade onde o show foi cancelado. México, Colômbia, Peru e Chile também tiveram o mesmo problema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário