30 de nov de 2010

Especial: Satanismo e Metal, rola?

Por Vito Cuneo

Bom, em primeiro lugar quero dizer q estava com saudades de escrever essas matérias especiais, a ausência desses textos é por falta de tempo, pois tempo que tenho para o blog me dediquei a cobrir eventos das bandas e produzir entrevistas com as mesmas, e ainda continuo.

A idéia de abordar esse assunto, já é batida, os mais velhos, já devem ter lido algumas matérias no Whiplash: http://whiplash.net/materias/opinioes/088015.html

Mas para os mais novos é sempre uma boa opção de leitura e também na tentativa de falar algo interessante para todos. Então mãos a obra:

O tema é polêmico, Satanismo no Metal, até onde é teatrinho ou realidade? Eu, particularmente, não sou muito fã do Black Metal, prefiro um som agressivo, mas que tenha conteúdo nas letras, mas primeiro vamos falar do som, deixamos as letras para mais adiante. Pensei em separar o texto em 3 partes: Som, Letras e Atitude (comportamento).

Primeira parte: Som. Em relação ao som, tecnicamente o Black Metal é uma ótima aula de Metal, riffs e batera rápida me agrada muito, batera com o famoso “bate estaca” e vocal rasgado sujo combinam muito bem. Em relação ao som, tudo certo, esta aprovado!

Segunda parte: Letras. Em relação as letras, o Metal é uma evolução do Rock e Punk das décadas de 1950 e 1960, isso é fato. As primeiras bandas de metal como Black Sabbath e mais tarde Iron Maiden, carregavam temas sombrios nas letras, podemos até considerar que ali começou uma influência para o Black Metal dos dias atuais. Mas essas bandas do passado também falavam de outros assuntos e compunham musicas mais lentas, como algumas baladinhas do Metal, coisas que são agradáveis às mulheres (não que o Black Metal não seja, ok?). Mas então, bandas de Black Metal, só tratam de tais temas, como satanismo, ocultismos, guerras, pestes, ou então só falam do capeta, diabo, tinhoso, ou como queira chamá-lo. A questão esta justamente ai, pois eu curto uma banda ou uma musica não só pelo som, mas também pelo conteúdo. Escutar um cd com 10 ou 12 musicas, em que todas as musicas trazem o mesmo tema, creio que se torna repetitivo e enjoativo, não? Tudo bem, tem gente que gosta, ok.

Antes de partir para a terceira parte, cabe lembrar uma diferença. Já que vamos falar das atitudes e comportamento, quero lembrar que nem todas as bandas de Black Metal “pintam a cara”, por exemplo a banda Deicide, som extremo, abordam esses temas, mas os caras não pintam a cara, mesmo que usem roupas pretas, básico. Mas não usam acessórios e maquiagem como a maioria das bandas de Black Metal. Outra informação que talvez faça diferença, Deicide é oriunda dos Estados Unidos, enquanto a maioria das bandas de Black Metal são européias. Na verdade ha quem considere o Deicide mais uma banda de Death Metal, do que Black Metal, na pesquisa que fiz, encontrei 18 bandas americanas e 1 canadense que são intituladas como Black metal, por exemplo:

Absu, band from Dallas, TX, USA
Astral Luminous, band from Texarkana, TX, USA
Aurora Borealis, band from Atlanta, GA, USA 
Black Anvil, band from New York, NY, USA 
Brown Jenkins, band from Austin, TX, USA 
Cobalt, band from Greeley, CO, USA
Cormorant, band from Novato, CA, USA 
December Wolves, band from Boston, MA, USA 
Dragonlord, band from San Francisco, CA, USA 
Ex Deo, band from Montreal, QC, Canada 
Goatwhore, band from New Orleans, LA, USA 
Krallice, band from New York City, NY, USA 
Ludicra, band from San Francisco, CA, USA 
Nachtmystium, band from USA
Sanctus, band from Long Beach, CA, USA 
Satan's Host, band from Colorado, USA 
Vesperian Sorrow, band from Austin, TX, USA 
Viking Crown, band from Texas, USA 
Wykked Wytch, band from Hollywood, FL, USA 

Bom isso não quer dizer nada também, pois seria um preconceito achar que o Black Metal é exclusividade dos países europeus, que tem influência da religião protestante, por isso abordam tais temas contra o catolicismo, ah, mas a religião do EUA é protestante também devido a colonização Inglesa, então ta certo. Assim como existem bandas undergrounds de Black Metal no Brasil, pode ocorrer o mesmo em qualquer canto do mundo. Mas voltando para a atitude e o comportamento dos membros das bandas e do publico, será que é a mesma? Não é segredo que integrantes e publico desse som já fizeram algumas agressões e depredações contra igrejas e obras religiosas. Como a banda curitibana “Murder Rape”, que já tiveram alguns problemas com a policia por depredação ao patrimônio publico. Então, o que é isso, teatrinho ou liberdade de expressão? Pois se os caras realmente acreditam nos temas das musicas, as imagens católicas são uma ofensa. Eu conheço uma moça, que diz ter uma amiga que é satanista, que essa amiga arranca pedaços do próprio cabelo, desenha pentagramas e tals. Então, pergunto novamente, e ai, teatrinho ou estilo de vida? Não acho, autoflagelo algo sadio (apesar de ter tatuagens e piercings), acho que existem outras formas de expressão melhores.

Bem, como não sou dono da verdade, e também como já disse que não sou fã do estilo, quero dar espaço ao nosso publico. Baseado no que já foi dito (e também para aprofundar o assunto) fica a pergunta, adoração e utilização constante da figura de um mito bíblico, bem como a inversão dos valores cristãos, é Satanismo? Sem querer ficar “em cima do muro”, e baseado em textos que li na net, a resposta é sim e não.

Creio que sim, pois cada um acredita no que quiser, se tratando de religião. Não é questão de cultura e sim de orientação. Em países muçulmanos o tal do Jesus Cristo nem existe, assim como na China e Índia. Então se quiserem acreditar no diabo que mal há nisso?

Mas também creio que não, pois como vivemos no Brasil, um país de colonização portuguesa e católica, acredito que todos já foram no mínimo na igreja num domingo frio de manhã, sem contar aqueles que papai e mamãe obrigavam fazer catequese e tudo mais. Talvez alguns tenham se revoltado contra isso, por isso seguem o satanismo e cometem tais atitudes.

6 comentários:

Tersis Zonato disse...

Queria colocar apenas alguns pontos a serem observados:

- Black Metal não fala apenas de satanismo: falar que as bandas só tratam de temas como "satanismo, ocultismos, guerras, pestes, ou então só falam do capeta, diabo, tinhoso" ao meu ver é falta de informação. Existem inúmeros exemplos de bandas que abordam vários temas como mitologia, história, natureza, filosofia, entre outros. Na lista há bandas que tratam de temas mitológicos. Basta pesquisar e se informar melhor (aos que tiverem interesse). Claro que aí surgem vários sub-gêneros, para tentar definir de forma mais clara a estética musical, especialmente para aqueles que não sabem do que se trata antes de uma análise mais aprofundada (como uma forma de descrever o contexto);
- Ocultismo não é o mesmo que satanismo;
- Particularmente não gosto desse abuso de rótulos que existe hoje em dia, mas se fizermos uma relação: Se Deicide é considerado Black Metal (para alguns), então podemos dizer que o Slayer também é? Para mim, Deicide sempre foi Death Metal, mas pegou o viés de confronto às religiões (coisa que já vinha acontecendo desde os anos 80) e maximizou.

Melhor que se basear em opiniões, é realmente buscar e estudar a história, o que as bandas falam. A geração MP3 perde nesse sentido, pois não tem um suporte eficiente: antigamente o pessoal lia os encartes, até mesmo as listas de "thanks to" e conseguiam fazer diversas relações para buscar o conceito da música.

Não quero jogar lenha na fogueira, nem ficar discordando de tudo que foi escrito, mas penso que a popularização do gênero trouxe muita desinformação, gerando preconceito e superficialidade.

Vitor disse...

Ae Tersis, realmente, falta muita informação no texto, por razões obvias não posso escrever uma monografia aqui. A idéia da matéria é quebrar alguns preconceitos e proporcionar uma discussão sobre o tema, por isso pretendo fazer uma continuação. Gostei da sua ultima frase, acredito que explica bem a minha idéia: "Não quero jogar lenha na fogueira, nem ficar discordando de tudo que foi escrito, mas penso que a popularização do gênero trouxe muita desinformação, gerando preconceito e superficialidade."

Gustavo GR disse...

Eu curto algumas bandas de Black Metal, mas nao sou satanista. Assim como, curto Cannibal Corpse e nao faço sexo com cadaveres. O Black Metal é filosofia na Peninsula Escandinava mesmo. Lugar colobizado pelos vikings. Os vikings eram POLITEISTAS. Acreditavam em Odin (Deus), Thor, forças da natureza, Valkirias, Vahalla (Paraíso dos Vikings que morriam em combate)... enfim, acreditavam nisso tudo, que logicamente, para a Igreja Catolica era um ABUSRDO, paganismo puro... logicamente que sofreram perseguiçoes da Igreja Catolica. Isso foi no seculo 8, 9, 10... até a Idade Media. Passados mais de 1500 anos, o que o pessoal la da Escandinavia faz hoje ??? Mete o pau no Catolicismo e nos seus simbolos, pois seus ancestrais (OS VIKINGS) foram taxados como pagoes pela mesma Igreja Catolica. A essencia do Black Metal é isso.

Logicamente que depois entrou a figura do Sata, que é o inimigo nº 1 da Igreja Catolica e o pessoal viu que o baguio vende forte e voilá... criou-se um estilo.

Marcos Araujo disse...

Acredito que o Black Metal está tornando-se mais um gênero musical, indiferente de sua temática. Algo mais abrangente, conquistando mais ouvintes, seja esse ligado a uma religião ou não.
Tenho uma banda e atualmente caracterizo minhas letras como político/filosóficas, falo da opressão que o sistema exerce na sociedade. E mesmo assim, não consigo caracterizá-la em um gênero que não seja o Black Metal.

Anônimo disse...

O Black Metal em si é um estilo de música controvero e complicado, quando delicado de se falar, pois sem dúvida aborda temas polêmicos, sou fãn das bandas mas não sou satanista e não gosto de bandas com letras ofensivas a qualquer tipo de religião ou Deus, os Deuses devem ser respeitados sejam quaiquer que forem, fanta muitos textos para a garotada nova que chega no movimento, muitos não são instruídos, alguns vestem camisas das bandas mas nem sabem quem são os integrantes e nem de onde vieram só por pose mesmo, mas sempre tem as maçãs podres mesmo em qualquer lugar.

De uma forma geral o movimento vem caindo em descrédito, pouquissimas bandas envolvidas com as ideologias, a era das grandes bandas terminou, não se fas aquele bom e velho black metal dos anos 80 e 90.

hoje ao escutar uma banda de black metal estas de 2000 para cá, não consego sentir a verdadeira aurea do black metal nelas, não sisto aquela magia, o sentimento puro de fazer black metal por pura devoção por puro respeitos ao grandes nomes do black metal, em respeitos as lendas do black metal, tanto integrantes como bandas, mas fazer por modismo, por ser comercial, para chamar a atenção, em alguns países é moda, ou por comércio mesmo, se vendem á mídia.

Aqui em Mamaus, Amazonas na minha cidade e principalmente no Brasil, os black metal são um bando de vagabundo que não trabalham, são desocupados, fazem baderna, todo tipo de algazarra, depedram os espaços públicos, são vândalos, se metem em todo tipo de confusão.

Não se faz mais bons black metal como antigamente.

Antigamente eramos respeitados, vestiamos as camisas e o pessoal parava para conversar trocar boas idéias, ninguém ousava chingar ou afrontar um black metal.

O black metal precisa urgente de uma repaginada, tirar toda esta galera que só é queima filme.

Estou muito triste com o andamento do black metal no mundo, posso falar isso pois já visitei várias cidades do mundo, e estive por dentro da cena black metal ali, e quando tive a oportunidade de voltar, estava tudo uma bagunça, a galera não se organiza para eventos, para se unir e estelecer novos horizontes para as bandas e paara a cena.

O black metal nunca mais voltará a ser como os das décadas de 80 e 90 que sinto muita saudade, mas podemos propor uma nova era, com mais qualidade nos trabalhos, nos integrantes das bandas e ate mesmo no público, cheguei a barrar gente em shows da minha banda aqui no norte, pois o black metal não é comercial e ideologia, não é moda e nem fanfarrinice.

falta qualidade, seriedade principalmente mudar a postura atual deste pessoal que é pura cabeça de vento, fanta instrução textos e livros e sites especializados em black metal.

ufa aqui vai meu desabafo concordem ou não.

Guilherme Carvalho disse...

esse assunto sempre rende muita discussão...

Postar um comentário