14 de ago de 2011

Review: Zakk Wylde e Cia em grande noite

Foto: Jéssica Casellas (confira mais)
Os curitibanos puderam conferir sexta (12) um grande show com a banda do “prodígio” – como ficou conhecido o ex-guitarrista de Ozzy Osbourne – Zakk Wylde. O Black Label Society tocou por exatamente 1h30, no Curitiba Master Hall, em uma casa razoavelmente cheia, mas não lotada, o que agradou os desprovidos de grande estatura (meu caso), facilitando a visão do palco. Pela primeira vez em Curitiba, a banda vem provando que é uma das candidatas, dentre as novas, a ostentar o título de grande.

Antes, porém, a banda curitibana Livin Garden animou o público. A opção na abertura agradou aos fãs do BLS, uma vez que o som tem muito a ver com o que seria apresentado pelos norte-americanos. Com um set curto, mas bem selecionado, o Livin Garden ganhou a atenção dos presentes, mostrando que o som próprio tem vez e que o convite para realizar a tarefa foi merecida. Além disso, a presença de palco do grupo colaborou para fixar a atenção.

Às 22h10 Wylde sobe ao palco, sob aplausos, assovios e gritos, portando um cocar gigantesco na cabeça. O som de sirene anunciava o início da barulheira com “Crazy Horse”. O setlist trouxe algumas surpresas em relação ao que já vinha sendo apresentado pela banda na “Berzerkus Tour 2011”. Dentre as novidades estavam inclusão de músicas como “Demise of insanity”, “Darkest days” e “Bleed for me”.

Ponto alto foi a apresentação solo de Wylde, que “brincou” com a guitarra por aproximadamente 7 minutos, andando de um lado para o outro do palco. Sem olhar para o braço da guitarra, em alguns momentos, ele demonstrou sua capacidade de improvisação – pelo menos foi assim que soou – fazendo os dedos correrem por toda a extensão do braço sem seguir necessariamente o rigor das escalas.

O show foi marcado pela energia do grupo no palco, embalado pelo Heavy Metal cadenciado da banda. Neste ritmo, o público foi envolvido pelo som e por diversas vezes era possível observar cabeças balançando em sincronia na pista.

O final, diferente do que se está acostumado a verificar, não teve espaço para o bis e parece que o público já sabia que aquele era de fato o fim. De todo modo, quem foi saiu com a sensação de que assistiu a um grande show de uma banda que dificilmente voltará tão cedo ao Brasil.

Setlist:
Crazy Horse
Born to Lose
Funeral Bell
Bleed for me
Demise of Insanity
Overlord
Parade of the Dead
Solo teclado
Darkest Days
Fire it Up
Solo guitarra
Godspeed Hell Bound
The Blessed Hellride
Suicide Messiah
Concrete Jungle
Stillborn

12 comentários:

Ale Brixel disse...

*-*

Anônimo disse...

se nao me engano eles ja tocaram no brasil em 2008 n me recordo direito, abriram pro Ozzy.



Yakilli

Guilherme Carvalho disse...

é verdade Yakilli. eles tocaram em março de 2008, junto com Ozzy e Korn. fiz a correção. grato pelo aviso.

Anna Bárbara disse...

Oi Guilherme. Só uma coisa: a música 'damage of sanity' tá errado. é DEMISE of Sanity.
Abraço

Guilherme Carvalho disse...

ops. valeu anna. tá arrumado. correções são sempre bem vindas.

Anônimo disse...

Bom, como grande fã de BLS tenho que comentar essa matéria aqui, com todo respeito, mas vamos começar por erros banais...
Zakk Wyld - Zakk Wylde
Demage of insanity - Demise of Sanity
Bleed fo Me - Bleed for Me
Me perdorem todos a sinceridade, não estou aqui pra desmerecer ninguém mas vamos aos fatos sobre o show;
''a banda vem provando que é uma das candidatas, dentre as novas...''
A banda não é um dinossauro do rock, mas tem 13 anos pra quem não sabe, isso pode ser considerado novo? Se sim, retiro o que eu disse.
Livin Garden abrindo não foi bom, tantas bandas com som mais a ver com BLS, tais como Ponto50 e Braveheart não tiveram essa tamanha oportunidade. O som é fraco e não tem nenhuma pegada BLS, o batera é fodastico, fora o vocal, os dois guitarristas não tem nada de inovador e nem um pouco de presença de palco e todos que realmente são fãs de BLS com certeza concordam que LG abrindo não teve nada a ver.
Outro detalhe, eles não tocaram ''The beginning... at last'' nem ''The Rose Petalled Garden '', no lugar dessa segunda foi ''Born to Lose'', eles começaram direto com Crazy Horse, dai o motivo pra ele usar o penacho, a musica baseada no lendário índio americano CAVALO LOUCO. O repertorio já havia sendo repetido a um bom tempo nos últimos shows da tour pelo BLS, dai falar que o repertorio surpreendeu é desnecessário.
Enfim, não estou aqui desmerecendo o trabalho de ninguém, mas é vergonhoso você ver uma matéria sobre uma banda, que é considerada por seus fãs como uma família/irmandade, com erros banais e criticas sem fundamento que provam que o próprio redator escreveu apenas para não deixar passar em branco, deixo claro que preferi não me identificar aqui porque não quero causar nenhuma discussão, a arquivo metal é ótima, e bastante informativa na cena underground, mas certas coisas fazem a gente sentir vergonha das bases curitibanas...

Guilherme Carvalho disse...

crítica recebida, sem problema. com exceção dos erros de digitação e das 2 músicas erradas do set (infelizmente estamos sujeitos aos erros), o restante é questão de opinião. cada um com a sua. aí é gosto musical, mesmo. enfim, o que estava errado foi corrigido. grato.

Guilherme Carvalho disse...

só um detalhe que esqueci, 13 anos é pouco tempo sim se comparamos com as que se pode considerar grande, como Black Sabbath, Deep Purple, AC/DC, Iron Maiden, etc... que tem mais de 30 anos de estrada.

Anônimo disse...

pra mim aquele penacho foi copiado do Joey Belladonna do Anthrax na caruda! hahahaha brincadeira, até um pecado comparar o lendário Joey com Zakk Wylde.

Anônimo disse...

pouts, pelo q ouvir falar, na penultima musica do LG a negada ja tava pedindo a SAIDERA, to vendo q num agrado taaaannntooo assim....tinham q repensar esse lance das bandas de abertura...

Celso disse...

É pessoal, as bandas consideradas "fodásticas" pelos paga-paus de plantão agora estão tendo o devido e merecido massacre daqueles que realmente entendem: o público.

Na internet todo mundo é foda e tal, mas sabemos q o LG é chato q dói e sem criatividade alguma.

Anônimo disse...

quando a LG entrou no palco, cagando o pau com o baixo dando problemas já vi que ia ser uma bosta, sem falar que eles atrazaram pra caralho!!
era para eles começarem as 20 horas!
resumindo, eu xinguei muito aqueles caras

Postar um comentário