17 de abr de 2012

Review: Sebastian Bach em São Paulo

Com os ingressos 100% esgotados, o Carioca Clube ferveu na noite de sábado. O grande público que encheu a casa ansiava por ver um dos maiores astros do Hard Rock, o ex-vocalista do Skid Row, Sebastian Bach.
Exatamente 19h30 Johnny Chromatic, Bobby Jarzombek, Jason Christopher e Nick Sterling subiram no palco agitando e fazendo uma breve introdução com seus instrumentos até que finalmente aquele começo clássico de uma das músicas mais pesadas da fase do Skid Row, ”Slave to the Grind”, até o grande “Tião” (apelido carinhoso que os brasileiros deram para Bach), aparece em palco todo sorridente. Ele seguiu até seu microfone batendo a cabeça e agitando. Na sequência, a faixa título do novo álbum “Kicking & Screaming” foi executada e muito bem aceita pelo público que cantava e agitava do começo ao fim, todos pulando e cantando.

Clássicos do Skid Row foram tocadas para agradar os fãs como “Here I Am” e a “Big Guns” com a famosa puxada que Tião faz. Muito brincalhão, antes de anunciar (Love Is) A Bitchslap
, bach diz: ”Eu fiz essa musica com o meu 'compadre', Axl Rose então,” agora por favor recebam....opa ele não está aqui” dando uma bela de uma gargalhada.

“18 and Life” foi um dos pontos fortes do show, principalmente no final, quando Sebastian fez uma medley incrível contendo “Wasted Time”, “In a Darkened Room” e “By Your Side”. Esse medley não estava sendo tocado na turnê. Para muitos, aqueles trechos dos grandes clássicos emocionaram e deixaram muitos satisfeitos. Sem pausas, com mais músicas solos e um cover de “Painmuseu”.

Sebastian mandou mais uma música que não pode faltar em seu set list, estou falando da aclamada “Monkey Business”. O tempo foi passando e o show quase acabando. A balada mais conhecida “I Remember You“ formou um coro pelo público que deixou os próprios membros da banda emocionados, incluindo Tião, sempre admirado pelos fãs brasileiros.

E, finalizando, com chave de ouro, Tião mostrou sua tatuagem. Todos já sabiam qu
e era o fim, mas ao mesmo tempo empolgados todos gritavam com vigor “Youth Gone Wild, Youth Gone Wild!”, outra música pesada da era Skid Row, onde o público gritou o nome em uma parte do refrão.

Em geral, o show foi excelente. Tanto como parte dos membros como Johnny e seu incrível vocal de apoio, Bobby, por ser um magnífico baterista já conhecido por tocar em várias bandas, entre elas a carreira solo do magnata Halford, o novo baixista Jason, que mandou muito bem, mostrando uma ótima sintonia e desempenho com a banda, e, é claro, o incrível menino prodígio Nick Sterling, que vem conquistando uma legião de fãs. Sebastian Bach não perdeu sua “juventude”. Batendo a cabeça e pulando e agitando e dando aqueles belos “berros” demonstrou ser um dos melhores vocalistas de
todos os tempos.


A abertura ficou por conta da banda Mad Joker, uma banda muita fraca para abertura, pois não apresentava músicas próprias boas. Faltou animação da banda. Apesar disso, os covers fizeram uma parte do público “balançar a cabeça”.

Set List:
01 Slave to the Grind
02 Kicking & Screaming
03 Dirty Power
04 Here I Am
05 Big Guns
06 (Love Is) A Bitchslap
07 Stuck Inside
08 Piece of Me
09 18 and Life
10 Medley: Wasted Time / In a Darkened Room /By Your Side
11 As Long as I Got the Music
12 American Metalhead (PainmuseuM cover)
13 Monkey Business
14 My Own Worst Enemy
15 I'm Alive
16 I Remember You
17 Tunnelvision
18 Youth Gone Wild

Nenhum comentário:

Postar um comentário