15 de dez de 2010

Entrevista: Crunch Delights traz novidades

Por Vito Cuneo 

Essa semana, vamos mais uma vez inovar na seção de entrevista, a banda escolhida já foi entrevistada pelo blog, mas resolvemos refazer a entrevista pois a banda apresenta muitas novidades nesse final de ano. Conversamos com os “garotos insanos” no gore, ou melhor, a banda Crunch Delights, falamos sobre o cd, shows e da trajetória da banda, que vem se mostrando como uma das revelações do som extremo da cidade. Confira como foi o papo:

VC - Primeiramente quero agradecer a participação do guitar Yákilli da banda Crunch Delights, com a entrevista para o Blog Arquivo Metal CWB. Para começar, Crunch Delights é uma banda nova na cidade, conte como começou os trabalhos da banda?
  
Yákilli: Beleza Vito, eu que agradeço o ARQUIVO METAL CWB, em nome da banda pela oportunidade de poder estar divulgando um pouco mais do trabalho do Crunch Delights.

A banda realmente é nova, foi formada em 2009, e se deu inicio quando outro projeto em que Eu e Danilo (ex- batera) tocávamos se deu por encerrado, sendo assim conheci o Yuri (baixo) que na época estava em outro projeto e por ter as mesmas influencias e gostos musicais parecidos, tivemos a iniciativa de por o Crunch em atividade, dai em diante começamos a ensaiar constantemente, e logo já estávamos com musicas próprias.

Yuri: A banda realmente é nova, foi formada em junho de 2009 por Yuri, Yakilli e Danilo, tudo começou quando Yakilli conheceu Yuri e logo queriam fazer som, Yakilli convidou Danilo (já tocavam em outro projeto juntos ) para fazer a bateria, dentro de poucos meses a banda já estava formada e o Crunch estava em atividade, dando sempre prioridade para musicas próprias ( sendo assim ate hoje ).

VC - Mesmo com pouco tempo de banda, vocês já vem ganhando espaço na cena metal da cidade, qual fator determinante pra isso?

Yákilli: Nosso principal objetivo é fazer nosso som, não temos nenhuma receita para idealizar nossas ''musicas''. Mas o fóco é ter peso e brutaliadade, com Urros e Blast-Beats acompanhando. Mesmo com nosso myspace em atualização e em processo de gravação da nosso Play, nas nossas 2 apresentações que fizemos, graças a ajuda de alguns amigos que nos deram a oportunidade de subir no palco, conseguimos mostrar um pouco do que o Crunch Delights tem a oferecer. no ultimo show realizado ( The Matter Of Splatter ), recebemos varias criticas construtivas elogiando a evolução da banda, mesmo com alguns problemas que enfrentamos em tão pouco tempo. 

Yuri: Acredito Que Principalmente A Nossa Humildade E Sinceridade Em Fazer Som, nao fazemos musicas pensando em agradar todos, fazemos pensando em nos agradar e agradar quem goste do estilo, fazemos algo brutal e " dançante " (hueaheu) ao mesmo tempo ! O que nos ajuda muito é a dedicação de todos os integrantes, ensaiamos muito e com foco na qualidade !  

VC - A banda já sofreu mudanças na formação, certo? Ainda pode ocorrer mudanças ou a formação esta estável?

Yákilli: Certo, tivemos mudanças na formação, acredito que com entrosamento, dedicação e responsabilidade que todos tem, o Crunch Delights não devera mais sofrer algum tipo alteração, estamos contando com Weder (Vúmito) no Vocal e Márcio (Violence) Bateria.

VC - Bom, vamos falar do som, quais temas a banda abrange em suas composições? Do que se tratam as letras? 

Yákilli:  Especialmente não consideramos que nossas musicas contenham letras no geral, aplicamos frases no nosso som e tentamos deixar o mais ilegível possível, nessas frases propriamente ditas, abordamos temas grotescos, imundices, estupros, horror, sujeira, obsessão por carne pútrida, carnificina, morte, o mais nojento possível. 

VC - O som Gore é peculiar, principalmente em Curitiba que som extremo não tem tanta aceitação. Como vocês vêem essa situação? 

Yákilli: Certamente, um estilo bastante desvalorizado em nossa cidade, como qualquer outro mais pesado, com exceção do Pantera, essa o povo curte (risos). Porem em outras regiões, ate mesmo em outros países é um estilo bem aceito, mas para nós não faz diferença, gostamos desse modo, e  estamos fazendo um som  que nos agrade, sem ficar pensando ''será que esse riff vai agradar o publico''  ou se ira tocar em algum lugar, logicamente vamos tentar fazer da melhor maneira e qualidade possível, mas dentro dos nossos princípios, e se tiver meia dúzia de pessoas que goste, e seja fiel, estaremos gratos.

VC - Mas então, vocês usam o metal como profissão ou apenas diversão? 

Yuri: Nosso objetivo maior é fazer o que gostamos e agradar quem gosta do estilo, ensaiamos com seriedade ate cansar, depois vira uma zona desgraçada (risos), nunca nos passou pela cabeça em ganhar a vida com isso, logicamente, o sonho de qualquer banda é tocar em festivais consagrados e "rodar o mundo", mais, isso só seria possível dentro das possibilidades de cada membro, já que todos trabalham e tem sua vida pessoal normal!

VC - Entendo que vocês tem o “pés no chão”, que é necessário muito trabalho e um pouco de sorte para “rodar o mundo” como o Yuri citou. Mas observo que mesmo com pouco tempo, vocês já tem uma grande produção, como myspace, vídeos no youtube e seção de fotos (de qualidade). Então para deixar claro para o nosso leitor, além dos ensaios, o que de fato a banda tem feito para correr atrás desse sonho?  

Yákilli: Certo, é como falamos, vamos aos poucos fazendo nosso trabalho, um dia tiramos uma fotos ( de qualidade) no show que realizamos, postamos vídeos no YouTube, colocamos gravações das nossas musicas, a 1º que disponibilizamos em nosso myspace foi a ''Country Gore'', retirada de um ensaio, e agora ja estamos com uma musica  prévia (sem masterização) que vai ser lançada em nosso CD chamada ''Corja Pestilenta''. futuramente já estamos com 2 ou 3 split's a ser lançado com bandas conhecidas no Underground (Aguardem)

VC - E sobre os meios de divulgação. Como vocês fazem a divulgação da banda?

Yákilli: Nosso principal meio de divulgação é a Internet, Blogs, Sites, Myspace, ate copio a frase de um grande amigo meu que fala assim, '' NA TERRA EXISTEM DUAS MALDIÇÕES, a 1º é a BIBLIA e a 2º é o ORKUT '', então sabemos que quase todos tem a 2º Maldição, esse é nosso principal meio de divulgação. (risos)

VC - Sobre as gravações da banda? Você já comentou que estão finalizando o cd. E eu já escutei uma previa do som. O que o público pode esperar desse material?

Yákilli: Nosso primeiro álbum, ainda falta uns ajustes, alguns Vocais a se encaixar, masterização e acabamentos  de finalização mesmo, a arte já esta pronta, já escolhemos as musicas, e para quem conhece o estilo de musica, com certeza irá gostar do resultado, pesado, insano e barulhento.

VC - Som de vocês é Gore, Extremo, todos sabem, mas mesmo assim vamos falar sobre isso. Quais as influências e como vocês definem o som da banda?

Yákilli: Nossa principal influencia é o som Extremo, cada um de nós conhece algo e quando juntamos tudo em uma idéia, certamente surge o Crunch Delights, Eu e o Yuri se encarregamos de fazer as bases de guitarra e baixo as vezes montamos a bateria em cima, ai quando vamos ensaiar já passamos as musicas, e o Marcio e o Vumito se encarregam de finalizar os detalhes, um prato ali, um bumbo aqui etc etc. Aos poucos vamos lapidando no estilo.

VC - Eu já conferi 2 show. Como esta a agenda da banda? Qual será a próxima apresentação da banda?

Yákilli:  Fizemos três shows até o momento, nosso mais recente foi em São Paulo (Várzea Paulista) no festival de Gore/Grind/Splatter More Gore Than Before V, dia 13/11/2010, onde dividimos palco com nomes grandes da cena Underground (Sub Cut, Expurgo, M.D.K, Carnivore Mind) onde recebemos varias criticas boas em relação ao nosso som, o que deu mais força pra banda. Teríamos mais uma apresentação programada para dia 18/11/2010 (5º feira), com os chilenos do Unblessed (Death Metal), mas foi cancelado devido a força maior, onde iríamos fazer a abertura do show, e como disse anteriormente, estamos em processo de gravação do nosso cd, com isso fica um pouco mais complicado de conciliar shows e estúdio. Mas estamos abertos a negociações.

VC - Como vocês vêem a cena Metal de Curitiba? Vocês acham que tem união ou ainda existe competição e rivalidade entre bandas?

Yuri: Não conheço a fundo a cena metal de outras cidades, mas posso dizer que a cena metal de Curitiba é Boa, mas comparada com algumas cidades, fica bem atrás. Pelo simples motivo, ser uma cidade Cover, 90% das bandas que surgem, fazem cover, ai o pessoal não valoriza o material próprio de algumas bandas, existem muitas bandas boas que estão apagadas, acho legal o fato de uma banda que faz som próprio, tem um repertório de 15, 20 musicas e faz 2 ou 3 covers, isso acho interessante, mas cada banda tem um publico, então vai de gosto também, por isso acho que não tenha tanta rivalidade, o duro é que somos curitibanos, conhecidos por outras regiões como a cidade Antipática, com isso as vezes a galera não é de ficar elogiando quando alguma banda toca.

VC – Curitiba tem uma cena metal satisfatória, na minha opinião, já tivemos o auge do nosso tempo há 10 anos atrás, tempos do Arcadas do Rock e Hangar (na velha casa). Atualmente vejo bandas de som próprio que lutam para manter a banda viva. Mas quanto à vocês, o que Crunch Delights faz para manter essa cena ativa (além de manter a banda, claro), de que maneira vocês participam da cena metal da cidade?

Yákilli: Com certeza o auge foi a alguns anos  atrás, por isso tentamos trazer novamente essa essência que foi se perdendo com o tempo, e o que nós temos feito para isso, é apoiar essas bandas indo nos pouco eventos que elas participam, um dos últimos que presenciei, foi Nervochaos, Imperious Malevolence e Hammurabi, onde são bandas de excelente qualidade e tem o seu material próprio, como duas eram de fora, com certeza levaram uma boa imagem de nossa cidade, pelo fato do evento ser em um domingo, tinha um publico presença apoiando e dando uma força, comprando merchan's etc.

VC - Com as bandas de Curitiba, rola alguma parceria em shows e viagens? Quais bandas vocês tem mais contato?

Yákilli: Certamente, nesse show em São Paulo, tocamos junto com o Terrorgasmo, dividimos a van, tudo de boa e tals, temos contato com os caras do Offal (PR), Anopsy (RJ), Vomepotro (SP), Furunculo Anal (RJ), Necrose Vaginal (RJ) M.D.K (SP) P.N.H (SP) etc etc. Todos esses nomes e mais alguns que mantemos mais contato, e os caras dão maior força para o Crunch Delights, mais o Terrorgasmo, é a galera que mais mantemos contatos, churrascos, baladas, breacos, Tóxicos, ensaios, (já decoramos o set list deles e eles o nosso) (risos), além de bandas, somos grandes amigos.

VC - Chegamos ao final da entrevista, agradecemos muito a atenção e esperamos que mais oportunidades venham a  surgir com esse novo trabalho de vocês! Deixe suas ultimas considerações para os leitores do Arquivo Metal CWB, e o contato pra galera conhecer o som da banda!

Yuri: Obrigado a toda equipe do blog  A.M.CWB pelo apoio, e que futuramente podemos estar fornecendo novas noticias boas a respeito do Crunch Delights, se não der tempo pra lançar nosso álbum esse ano, será em Janeiro de 2011, agradeço aos leitores do blog que estão acompanhando e apoiando o nosso Trabalho, e quem quiser conferir o que esta por vir do nosso CD, acesse:  www.myspace.com/crunchdelights lá tem uma prévia sem masterização.
forte abraço a todos. E GoreGrind até os tímpanos explodirem (risos).

2 comentários:

Anônimo disse...

Parabens a banda esta cada vez melhor!!!

Samuel disse...

Parabéns. A banda é execelente na sua proposta e com certeza vai longe!!!!

Postar um comentário