25 de out de 2011

Review - SAXON! Show memorável em Curitiba!


Texto por: Felipe Leite
Fotos por: Camila Machuca

Dia 23/10 tinha tudo para ser mais um dia marcante na história do metal curitibano.
Uma verdadeira lenda da NWOBHM aterrissava mais uma vez na capital paranaense para um show matador: o Saxon. Segundo muitos o show em 2002 havia sido o melhor show na história da cidade e nesse sábado não poderia ser muito diferente.

Por ser um show no domingo e por ter bandas de abertura, pontualmente, as 19horas abriram-se os portões do Curitiba Master Hall para que o público entrasse na casa. Os cearenses do Darkside, uma das bandas de abertura, começaram sua apresentação por volta das 20:30. A veterana banda, que também abriu o show em Fortaleza, apresentou seu Heavy/Thrash bem consistente e empolgante. A banda também tem divulgado o seu mais recente disco “Prayers in Doomsday” lançado em 2010 (embora só tenha tocado um som do álbum, “Shades Of Decay”).
Destaque em especial para o guitarrista Tales Groo que possuía uma movimentação muito boa no palco e para o vocalista Alex Eiras que conseguiu cativar o exigente e impaciente público, além de também possuir uma ótima movimentação. Destaque para as ótimas “Born of War” e a excelente “Fragment of Time”, que encerrou o show dos cearenses.

Por alguma razão desconhecida os gaúchos do Hibria não se apresentaram nesse dia. Com um público já um pouco maior do que no início da noite (mas ainda não muito justo para um show desse nível) tinha início, as 22horas em ponto, a Intro que vem sendo usada durante os shows dos britânicos. Com as luzes ainda baixas Biff Byford (V), Paul Quinn (G), Doug Scarrat (G), Tim “Nibbs” Carter (B) e Nigel Glocker (D) adentra o palco com o riff inicial de “Hammer of the Gods”, faixa que abre o novo disco da banda e, já de cara, notava-se a grande empolgação do público para o show. O hino “Heavy Metal Thunder” foi executado na sequencia com o público cantando em uníssono. A presença de palco era matadora. Não pareciam senhores na casa dos 60 anos, mas sim garotos de 20 e tantos. Biff Byford cantando demais e Nibbs Carter se locomovendo de um lado para o outro e interagindo com o público frequentemente. Outro hino, “Never Surrender”, veio na sequencia para delírio de muitos. Era a vez de mais uma faixa do mais recente disco “Call to Arms”, a contagiante “Chasing the Bullet” que, com seu riff e seu refrão marcantes, cativou facilmente o público.

Hora de mais um hino para ser cantado por todos. Primeira música do lendário disco “Wheels of Steel” (1980): “Motorcycle Man”. Na sequencia veio “Back in the ‘79”, mais uma música do disco novo, aprovada pelo público, seguida da maravilhosa “And the Bands Played On”. A todo momento Biff Byford interagia com o público e com seus colegas de banda. Brincava fazendo “chifrinhos” no baixista Nibbs Carter e puxava a todos para que ficassem um ao lado do outro. “Mists of Avalon” foi mais uma representante do mais recente trabalho seguida de “Battalions of Steel” do disco “Into the Labyrynth” (2009), muito aclamada pela parcela mais jovem do público. A belíssima “Call to Arms” (faixa título) veio para representar mais uma vez o novo disco. Mais uma do álbum “Strong Arm of the Law” (1980) a banda executou a maravilhosa “Dallas 1PM” seguida de “Rock N’ Roll Gipsy” do injustiçado, porém clássico, “Innocence is no Excuse” (1985) ambas cantadas por boa parcela do público presente no Curitiba Master Hall.

Eis que surge a primeira surpresa da noite. O riff inicial de “Rock The Nations” pegou muitos fãs, como eu, de surpresa. A música, do álbum homônimo de 1986, não foi executada durante a turnê inteira (conforme, ao menos, constava nos set lists anteriores) . Na metade da música a banda imenda “Battle Cry” (do mesmo disco). Medley sensacional de um disco muito criticado (de forma injusta) do quinteto. “When the Doomsday Comes” foi a última música mais nova tocada pela banda na noite. O que veio na sequencia foi uma verdadeira avalanche de clássicos. “Denim And Leather” com uma presença de palco e empolgação do trio Quinn, Scarrat e Carter para ninguém botar defeito. Mais uma surpresa maravilhosa na noite. Uma alteração no set list em relação aos últimos shows. A banda (conforme constava no próprio set) iria executar “20.000 Feet”, do disco “Strong Arm of the Law”, conforme fez nos últimos shows em Santiago, Fortaleza e São Paulo. No lugar mandaram “To Hell and Back Again” do mesmo disco. Ambas excelentes! Chega difícil escolher entre uma das duas.

O cover mais famoso já gravado pelo Saxon e que se tornou um verdadeiro hit no final dos anos 80 e cujo vídeo rolou cansativamente em vários meios na época: “Ride Like the Wind” de Christopher Cross mostrou porque é um dos mais bem sucedidos covers da história do Heavy Metal! Outro hino indispensável nos shows de Biff e Cia., “Wheels of Steel”, manteve o pique do público e banda acelerado e a essa altura, muitos como eu estavam perdendo a voz.

A banda sai e retorna para o primeiro encore com “Crusader”...Biff berra ao microfone: “Who dares battle the Saracen!”... algo indescritível! Na sequencia veio “747 (Strangers in the Night”, um maravilhoso solo de Doug Scarrat e a épica “Power and the Glory” (uma pena ser a única música do disco homônimo de 1983 executada no show).

A banda se retira para o solo de baixo de Nibbs Carter. Solo esse que antecedeu a introdução de outro hino: “Strong Arm of the Law”! Música perfeita! Mais uma canção indispensável nos shows do Saxon bem como “Princess of the Night”, executada na sequencia e que foi a “saídeira” do show.

Baquetas e palhetas pro alto. Algumas que a banda fez questão de entregar em mãos de alguns fãs. Prova total de amor aos fãs brasileiros!
Quem me conhece sabe o quanto sou fã do Saxon e que sou extremamente suspeito para falar dessa banda mas, fanatismos a parte, esse será sem dúvida um sério candidato a show do ano!


Set List:

Intro
Hammer of the Gods
Heavy Metal Thunder
Never Surrender
Chasing the Bullet
Motorcycle Man
Back in the ‘79
And the Bands Played On
Mists of Avalon
Battalions of Steel
Call to Arms
Dallas 1PM
Rock N Roll Gipsy
Rock The Nations/Battle Cry
When the Doomsday Comes
Denim & Leather
To Hell and Back Again
Ride Like the Wind (Christopher Cross Cover)
Wheels of Steel

1st Encore:
Crusader
747 (Strangers in the Night)
Guitar Solo
Power & the Glory

2nd Encore:
Bass Solo
Strong Arm of the Law
Princess of the Night

Um comentário:

robsonmaiocchi disse...

Isso aí, Felipão! Meus parabéns pela resenha!

Postar um comentário