29 de set de 2014

Review de show: Angra (Master Hall - 26/09/2014)

Na última sexta feira (26/09) tivemos mais um ótimo show em Curitiba. Dessa vez foi uma jornada 100% nacional com o ANGRA, que teve a companhia das bandas curitibanas DEVILSIN e SEMBLANT. As apresentações aconteceram no Curitiba Master Hall.

Abertura da casa foi às 21h e a primeira banda de abertura, DevilSin, adentra ao palco meia hora depois. Capitaneada pelo carismático vocalista veterano Kevan Gillies (véio loco, hehe), a banda fez um dos shows mais legais, empolgantes e interativos que já vi. O som dos caras não é nada demais, um Heavy Metal básico bem calcado nos anos 80, mas na meia hora que estiveram no palco levantaram a galera presente (que ainda estava em número reduzido) com direito a Jack Daniels pro povo, bandeira da banda e distribuição de brindes. Destaque para a música "New World Order" cujo refrão foi cantado a pedido de Kevan.

Pouco mais de 10 minutos depois da apresentação do DevilSin, é a vez do septeto Semblant fazer seu show. O Semblant é, na minha opinião, uma das melhores bandas daqui de Curitiba e seu show comprovou isso. Com seu Gothic Metal bem feito e apostando no diferencial interessante dos duetos vocais de Sérgio Mazul (mostrando uma versatilidade e agressividade monstruosa) e Mizuho Lin (limpo, belo e muito técnico), a banda tocou músicas do seu recente lançamento, "Lunar Manifesto", bem como de trabalhos anteriores. O show durou cerca de meia hora e confirmou a expectativa acerca da banda, que mantém ao vivo a qualidade dos trabalhos de estúdio (trabalhos esses super recomendados pra que gosta do estilo).

Nessas 2 primeiras apresentações destaque negativo para a má distribuição dos jogos de luzes da casa - muito forte e prejudicando a vista do pessoal que estava mais à frente do palco. Próximos shows isso deve ser corrigido.

Outro aspecto negativo foi o intervalo entre o último show de abertura e o Angra. O Semblant terminou seu show por volta das 22:40h e o Angra iniciou seu show à meia noite (1 hora e 20 minutos depois!), poderia ter sido um intervalo bem menor, só serviu pra cansar o pessoal. Mas enfim, vamos à apresentação.

Este era um show que eu queria muito ver, especialmente pela estreia do novo vocalista, o italiano Fabio Lione (Rhapsody of Fire, Vision Divine) que, diziam, se encaixou como uma luva na banda. E logo na primeira música, "Angels Cry", já fica evidente o domínio de palco, a técnica vocal apurada e o entrosamento de Lione com o grupo. O italiano, como típico representante do país da bota, se mostrou muito à vontade, inclusive conversando com a galera num bom português.

Como essa tour é de divulgação do DVD "Angels Cry: 20th Anniversary Tour", a base da apresentação foram os clássicos que a banda toca nele - não necessariamente do álbum "Angels Cry", mas como um todo englobando a melhor fase da banda (do começo até o "Temple of Shadows" 2004). E o cara sabe quando uma banda é importante quando num set de 15, 16 músicas sente que ficaram faltando vários sons importantes, especialmente do excelente, vanguardista e genial "Holy Land" (1996). Mas o set foi digno, boas performances em músicas essenciais como "Nothing to Say", "Time", "Evil Warning", "Lisbon", bem como algumas surpresas, como a versão acústica de "Bleeding Heart" com Rafael Bittencourt dedicando ao ex-vocalista Edu Falaschi (mostrando que sua saída foi amigável) e o ótimo solo de bateria do jovem Bruno Valverde que entrou muito bem na banda, sem contar a já esperada performance individual de Kiko Loureiro e Rafael Bittencourt, que formam uma das melhores duplas de guitarristas.

Mesmo com todas as qualidades mencionadas, a noite foi mesmo de Fabio Lione. E isso ficou ainda mais evidente quando em "Rebirth" ele foi literalmente pro meio do povo (que compareceu em bom número), cantando a música junto à grade e depois subiu na parte superior do Master Hall. Para fechar, um medley de 2 clássicos imortais, um na vóz de André Matos e outro na de Edu Falaschi, "Carry On" e "Nova Era", agora na versão de Lione. E após os agradecimentos, quando todos pensavam que o show havia terminado, eis que os caras voltam ao palco para tocar mais uma, "Angels and Demons" para, agora sim, finalizar a apresentação.


Já eram 2 horas de uma madrugada chuvosa quando o show acabou, mas valeu a pena. Bacana saber que o Angra voltou com tudo - o que dá grandes expectativas pelo álbum novo, que encontraram um ótimo vocalista, que as bandas curitibanas também estão fazendo bonito. Saldo mais do que positivo!

        Setlist:

        Angels Cry
        Nothing to Say
        Waiting Silence
        Time
        Evil Warning
        Lisbon
        Millennium Sun
        Winds of Destination
    (Drum Solo by Bruno Valverde)
        Bleeding Heart (Acoustic - By Rafael Bittencourt)
        Gentle Change
        Acid Rain
        (Deus le Volt!)
        Spread Your Fire

        Encore:
        Rebirth
        (Unfinished Allegro)
        Carry On/Nova Era
        (Gate XIII)

        Encore 2:
        Angels and Demons

Fotos: Makila Crowley

Um comentário:

Anônimo disse...

Valeu Jean.

Ettine ♫.

Postar um comentário