16 de mai de 2012

Resenha: Soulfly - "Enslaved"




O tempo passa, caro leitor; e já faz nada menos do que 15 anos que Max Cavalera criou o Soulfly, logo após sua conturbada e polêmica saída do Sepultura.


Ainda que muitos não tenham assimilado / aceitado o rompimento até hoje, o fato é que as duas partes trilharam seus caminhos e consolidaram suas discografias independentemente.


"Enslaved", por exemplo, é o 8º álbum de inéditas da banda. Após muitas trocas de formação, Max Cavalera e o já veterano Marc Rizzo contam hoje com o apoio de Tony Campos (baixo / backing vocal, Asesino) e David Kinkade (bateria, ex- Borknagar).


Com tranquilidade digo que este é o melhor registro do Soulfly até o momento. Max Cavalera, aos poucos, vinha deixando os experimentalismos e percussões que marcaram o início do grupo e se tornando cada vez mais coeso e agressivo.


Quem acompanha a evolução da banda, percebeu que desde o álbum "Dark Ages" a veia Thrash Metal de Max voltara e no penúltimo registro - "Omen" (disco sensacional), cada vez mais evidente.


Aqui, temos o Thrash como guia e até mesmo influências de Death Metal, mas com muita criatividade sem ficar apenas no básico do estilo. O bumbo duplo de bateria se mantém em boa parte do repertório, assim como os riffs de guitarra feitos sob medida para "bater cabeça" - além dos ótimos solos que permeiam as músicas. A performance de Max também é digna de elogios; alternando entonações mais graves com linhas vocais no melhor estilo "Arise" de ser!


Vale ressaltar o excelente trabalho do produtor Chris "Zeuss" Harris; que já assinou álbuns do Hatebreed, Sworn Enemy e Lamb Of God e soube tirar o máximo do Soulfly - inclusive em "Plata O Plomo" (cuja letra fala sobre o já falecido "chefão" do narcotráfico Pablo Escobar), cantada em português e espanhol e traz interessantes elementos acústicos entre o peso cadenciado da música.


"World Scum" (faixa de trabalho - a melhor do álbum), "Legions", "American Steel", "Treachery" e "Chains" são alguns dos destaques; além de "Revengeance", que conta com a participação dos filhos de Max.


Aviso aos radicais de plantão: mesmo que não tenham gostado dos álbuns anteriores, façam no mínimo uma audição de "Enslaved" - desde já, um dos melhores na lista 2012!


Selo: Roadrunner Records

* A edição em digipack conta com 3 faixas bônus.  





Nenhum comentário:

Postar um comentário